Produdos Tradicionais Portugueses 

biblioteca online

 

 

Parceria portuguesa para os solos
Sistema de Informação do Regadio
Bolsa Nacional de Terras

Rede Rural Nacional 

Boletim Informativo - Estratégia Nacional para a Agricultura Biológica e Plano de Ação

Agricultura biológica Guia de apoio à criação de microempresas Guia de apoio às explorações agrícolas  Serviço de Acncelhamento Agrícola Tecnicos em Formação Regulamentada

 

 

Balcão Único

 

Direção

 

Diretor-Geral - Engº Gonçalo de Freitas Leal 

Subdiretora-Geral - Engª Maria Filipa de Sousa da Câmara Horta Osório 

 

CURRICULUM VITAE

Identificação

Gonçalo Mendes de Freitas Leal
Data de Nascimento: 4 de agosto de 1955
Naturalidade: Lisboa

 

Habilitações Académicas

• Master-of-Science in Soil Science and Water Management, pela Universidade de Wageningen, Holanda (1983).
• Licenciatura em Engenharia Agronómica, pelo Instituto Superior de Agronomia (1978), com a média final de 15 valores.

Experiência e Atividade Profissional

  •  Desde 21 de setembro de 2018 – Diretor-Geral da Direção-Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural
  •  De julho 2016 a setembro de 2018 - Técnico Especialista - Gabinete do Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural - Assessoria na área do regadio; Coordenação do processo de negociação dos empréstimos à República  Portuguesa concedido pelo Banco Europeu de Investimento e o Banco de Desenvolvimento do Conselho da Europa, para financiamento do Programa Nacional de Regadios, aprovado pelo Governo. 
  • De 2011 a 2016 - Técnico Superior – DGADR – Direção-Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural - Corredação do “Plano de Prevenção, Monitorização e Contingência para Situações de Seca”, que veio a ser aprovado por Resolução do Conselho de Ministros em 2017; coordenação do Grupo de Trabalho interno que redigiu o documento intitulado “Estratégia para o regadio Público 2014-2020”, veio a ser aprovado por despacho ministerial em setembro de 2014; conceção, operacionalização e gestão da Medida 7.5 “Uso Eficiente da Água”, do Programa de Desenvolvimento Rural do Continente (PDR 2020).
  • De 2010 a 2011 - Diretor de Departamento de Infraestruturas e Engenharia Rural - Hidroprojecto, S. A - Coordenação de projetos de redes de abastecimento de água, de drenagem doméstica e pluvial e de arruamentos (Tripoli, Líbia).
  • De 2007 a 2009 - Diretor de Projeto - Hidroprojecto, S. A. - Elaboração de projetos de redes secundárias de rega sob pressão e de estações elevatórias. 
  • De 2004 a 2007, de 1993 a 1997 e de 1978 a 1988 – Técnico Superior - DGHEA - Direção-Geral de Hidráulica e Engenharia Agrícola e organismos subsequentes - Identificação, estudo preliminar e anteprojeto de pequenos regadios coletivos (Trás-os-Montes). Estudos e projetos de rega por gravidade e drenagem subterrânea. Projeto de execução de redes secundárias de dre¬nagem superficial, caminhos e rega por aspersão (Cova da Beira). Desenvolvimento de estudos de planeamento e gestão de recursos hídricos. Acompanhamento técnico de estudos e projetos de rega e drenagem. Elaboração de termos de referência para estudos e projetos de grande dimensão. Conselheiro de Bacia do Guadiana. Desenvolvimento de estudos de gestão de aproveitamentos hidroagrícolas, em Portugal e no estrangeiro (Moçambique). Elaboração de cadernos de encargos de estudos e projetos de rega e drenagem. Acompanhamento técnico de estudos e projetos de Rega e Drenagem em elaboração por empresas de consultoria. Apreciação de reclamações e pedidos de indemnização de várias empreitadas de grande envergadura (barragens e redes de rega).
  • Em 2003 - Consultor - EDIA - Empresa de Desenvolvimento e Infra-estruturas do Alqueva - Projeto de um dispositivo de segregação de águas a aplicar à albufeira de Alvito.
  • De 1997 a 2001 - Diretor de Serviços de Gestão de Projetos e Obras – Instituto de Hidráulica, Engenharia Rural e Ambiente - Coordenação geral da atividade de: (i) Divisão de Obras e Fiscalização; (ii) Gabinete de Gestão do Parque de Máquinas; (iii) Divisão de Topografia. Programação, coordenação, gestão e controle técnico e financeiro das equipas dos diversos Projetos Hidroagrícolas.
  • De 1989 a 1993 - Chefe da Divisão de Gestão de Projetos - Direção-Geral de Hidráulica e Engenharia Agrícola - Programação, Coordenação, Gestão e Controle Técnico e Financeiro das equipas de diversos Projetos Hidroagrícolas.
     
  • Atividade liberal 
    De 1985 a 2016 (intermitente) - Trabalhos de consultoria versando cinco grandes linhas técnicas. Estudos e projetos de planeamento de recursos hídricos, rega, drenagem, hidrologia agrária, correção torrencial e hidráulica fluvial.

a)Análise das vertentes hidrológicas e pedológicas de Estudos de Impacte Ambiental.

b)Estudos de ordenamento agrário e estudos agronómicos de planos diretores municipais.

c)Fiscalização de empreitadas.

d)Estudos hidrológicos, hidráulicos e de drenagem do tabuleiro de pontes e viadutos.

Alguns destes trabalhos envolveram missões no estrangeiro (Peru, Cabo Verde, Moçambique).

  •  Atividade como formador
    Conceção e monitoragem de duas dezenas de cursos de formação profissional em temáticas de Rega, Drenagem e Hidrologia, totalizando 1 155 horas de formação teórica e prática.

  • Atividade docente
    De 2013 a 2018 – Docência do tema de Drenagem Agrícola da cadeira de “Rega e Drenagem” do Mestrado em Engenharia Agronómica, do Instituto Superior de Agronomia (10 horas de aula do 1.º semestre).
    De 2001 a 2005 – Docência da cadeira “Métodos de Rega II”, na Escola Superior Agrária de Beja.
    De 1988 a 2001 – Docência de várias aulas em cursos de pós-graduação e de Mestrado (Univ. Évora), versando temas de “Drenagem” e “Metodologias de projeto de redes de rega sob pressão”.

  • Orientação científica de estágios
    De 1991 a 2004 – Orientação de seis estagiários de licenciatura em temas de Rega e Drenagem.

  • Publicações 
    Publicação de 16 comunicações escritas em reuniões técnicas e científicas diversas, quatro artigos em revistas da especialidade e cinco colaborações individuais em livros. Temas versados: modelação de rega por gravidade; critérios de drenagem; caraterísticas de regadios portugueses de grande dimensão; gestão de recursos hídricos; estudos prospetivos de desenvolvimento hidroagrícola em Portugal; manutenção de cursos de água; desenvolvimentos recentes na Investigação em drenagem; uso eficiente da água em regadio.

 

CURRICULUM VITAE

Identificação

Maria Filipa de Sousa da Câmara Horta Osório
Data de Nascimento: 05 de outubro de 1964
Naturalidade: Lisboa

Educação e Formação

  • De maio a setembro de 2008 2.º Programa de Gestão em Energias Renováveis (PGER2), da Universidade Católica Portuguesa
  • De abril a dezembro de 2007 42.º Programa Avançado de Gestão para Executivos (PAGE42), da Universidade Católica Portuguesa
  • Setembro de 1995 Grau de Mestre em Economia Agrária e Sociologia Rural, do ISA
  • De janeiro de 1991 a dezembro de 1992 Parte Escolar do Mestrado em Economia Agrária e Sociologia Rural - Bolseira da JNICT (Junta Nacional de Investigação Cientifica e Tecnológica)
  • Do ano letivo de 1984/1985 ao de 1988/1989 Licenciatura em Engenharia agronómica, pelo Instituto Superior de Agronomia (ISA), ramo de Economia Agrária e Sociologia Rural

Experiência e Atividade Profissional

  • Desde março de 2012 - Subdiretora da Direção-Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural
  • De julho de 2009 a fevereiro de 2012 - Consultora nas áreas da agricultura e desenvolvimento rural exercendo atividades de consultadoria a deputados à Assembleia da República no âmbito das atividades de fiscalização à atuação do Governo e de iniciativas legislativas na área da Agricultura, Floresta, Desenvolvimento Rural, Política Agrícola Comum e Nacional e ao nível da Comissão Parlamentar de Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pescas e Comissão Parlamentar de Agricultura e Mar
  • De maio de 2007 a junho de 2009 - Assessora do Conselho de Administração da ELETRICIDADE INDUSTRIAL PORTUGUESA - E.I.P. SA, nas áreas de Desenvolvimento, Diversificação e Novos Negócios
  • De março de 2007 a março de 2009 - Administradora executiva da Sociedade Anónima - Casa Agrícola Horta Osório, S.A., onde liderou um projeto de reconversão e reestruturação de uma vinha no Douro para a produção de Vinhos Doc Douro e Porto (Mosto generoso)
  • De março de 1994 a abril de 2007 - Integrou o DEPARTAMENTO TÉCNICO DA CAP - CONFEDERAÇÃO DOS AGRICULTORES DE PORTUGAL, desenvolvendo atividades nas áreas do crédito agrícola, políticas estruturais (Quadros Comunitários de Apoio) e aplicação da Política Agrícola Comum (PAC) e suas reformas, em Portugal. Representou a CAP, na qualidade de VOGAL, nos seguintes Conselhos e Comissões: 1. Conselho Superior de Estatística (CSE), no âmbito das competências do Instituto Nacional de Estatística (INE); 2. Conselho Nacional da Agricultura e do Desenvolvimento Rural, órgão de natureza consultiva previsto na Lei Orgânica do Ministério da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas (MADRP); 3. Comissão de Acompanhamento do Terceiro Quadro Comunitário de Apoio (QCAIII), no quadro do Decreto-Lei n.º 54-A/2000, do Ministério do Planeamento; 4. Comissão de Acompanhamento do Programa Operacional Agricultura e Desenvolvimento Rural (POADR); 5. Comissão de Acompanhamento do Programa Operacional Economia (POE); 6. Comissão de Acompanhamento do Programa Operacional Região de Lisboa e Vale do Tejo (PORLVT); 7. Comissão de Acompanhamento do Plano de Desenvolvimento Rural (RURIS); 8. Grupos de trabalho do COPA e de gestão da Comissão Europeia, relativos ao tema "Estruturas e Desenvolvimento Rural"
  • De janeiro de 1991 a dezembro de 1993 - Membro da equipa de trabalho do Projeto de Análise das Perspetivas de Desenvolvimento da Agricultura Portuguesa sob coordenação do Professor Francisco Avillez- AGROGES
  • De janeiro de 1991 a dezembro de 1992 - Bolseira da JNICT (Junta Nacional de Investigação Cientifica e Tecnológica) para elaboração do mestrado em Economia Agrária e Sociologia Rural - Bolseira de Curso de Mestrado em Economia Agrária e Sociologia Rural - JNICT
  • De maio a julho de 1990 - Membro da equipa de trabalho do estudo de Caracterização dos Sistemas de Produção Agrícolas da Zona Agrária do Baixo e Cima Corgo - participação no Estudo de Caracterização dos Sistemas de Produção da Zona Agrária do Baixo e Cima Corgo adjudicado ao Departamento de Economia Agrária e Sociologia Rural do I.S.A..
  • De novembro de 1989 a dezembro de 1990 - Membro da equipa técnica do Programa de Desenvolvimento Agrícola Regional (PDAR) da Zona Agrária do Baixo e Cima Corgo (Vila Real) - FENACAM - responsável pela elaboração da análise de viabilidade económica das atividades e explorações tipo da região do Baixo e Cima Corgo (Zona Agrária em Vila Real).
 logo agri fam  CAOF  uso eficiente da agua  sistema de  reconhecimento de regantes
 sir destaque2  Cartas Pery  NREAP  projeto BINGO